top of page
Buscar
  • Lhivros e Arthivismo

Filme - KOKUHAKU - CONFISSOES - Tetsuya Nakashima

Um dos filmes mais doidos que já assisti sobre a temática hiv/aids é o "Kokuhaku", ou "Confissões", lançado em 2010 e dirigido por Tetsuya Nakashima, e que foi baseado no romance homônimo de Kanae Minato que ganhou o prêmio Honya Taisho em 2009. Do elenco fizeram parte Takako Matsu (primorosa), Yukito Nishii, Kaoru Fujiwara e Ai Hashimoto.


O tema deste filme é a violência juvenil, suas tristes raízes e terríveis consequências. A personagem principal é a professora Moriguchi (Takako Matsu), que está para sair da escola. No seu último dia de aulas, confessa aos seus alunos que sua filha de 4 anos, Manami (Mana Ashida), não morreu acidentalmente, como concluiu a investigação policial. Ela foi assassinada por dois estudantes daquela turma, aos quais passa a chamar de “aluno A” e “aluno B”.



Apesar de não citar seus nomes, a descrição das características e feitos de cada um revela as suas identidades. O motivo que os levou a isso, bem como o envolvimento de parentes e amigos, são narrados sob a forma de confissões de 6 pessoas, tais como peças de um puzzle.


Mas e o hiv, como entra nesta história?


Pois bem, para colocar terror em seus alunos, ela diz que ia se casar com o pai de sua filha, mas após exames de rotina, descobriu-se que ele viveria com hiv. Ela fala que hiv não se passa por toque, pelo ar, e que se pode conviver normalmente com uma pessoa que viva com o vírus, e ainda que para evitar o preconceito que cercaria a criança, o pai decidiu que não se casariam.


Como forma de se vingar pelo assassinato, ela diz que teria pego um pouco de sangue do pai de sua filha e que o teria colocado no leite de caixinha que teria dado aos dois alunos assassinos para beberem, aproveitando-se de uma campanha para a qual a escola havia sido selecionada, e assim, eles se infectariam com o vírus. Ela aterroriza os dois sugerindo que façam exame de sorologia daqui alguns meses, e que após o período de latência de 5 a 10 anos, eles teriam tempo para pensar na importância da vida.


Um dos dois alunos assassinos se transtorna mentalmente a tal ponto que mata sua mãe (em um momento inclusive de autodefesa), ao passo que o outro, pelo ocorrido, sofre bullying de seus colegas de forma tal que revela sua verdadeira sociopatia.


O filme legendado pode ser assistido abaixo:





28 visualizações0 comentário

留言


bottom of page