top of page
Buscar
  • Lhivros e Arthivismo

Filme - YOUTUBERS E HIV - Agencia Aids

O documentário "Youtubers e HIV" foi lançado pela Agência Aids em 2019, para a comemoração do dia mundial da saúde. Idealizado e dirigido pela jornalista Roseli Tardelli, diretora da Agência Aids, o longa conta a história de jovens youtubers que vivem com HIV e compartilham informações sobre a doença e suas vivências nas redes sociais.



O documentário é um convite para o público refletir sobre a luta contra a aids no século 21. Gabriel Estrela, João Geraldo Netto, Rafael Bolacha, Gabriel Comicholi, Daniel Fernandes e Pisci Loka traz em seus depoimentos histórias de afeto, sexualidade e prevenção.


Gabriel Comicholi, por exemplo, usa o seu canal para falar sobre suas experiências e tratamento desde o dia em que recebeu o diagnóstico.


Em Boa Sorte, Gabriel Estrela conta com as participações de especialistas para debater o assunto. Já Daniel Fernandes, do Prosa Positiva, propõe discussões sobre depressão e suicídio.


O youtuber João Geraldo Netto aborda no Super Indetectável como as pessoas vivendo com HIV são amparadas pela justiça, no caso os direitos assegurados pelo Ministério da Saúde.


Em Chá dos 5, Rafael Bolacha, artista, produtor cultural e idealizador do projeto Uma Vida Positiva, aborda com muito bom humor temas sobre sexo, prevenção e cuidados.


No coletivo Loka de Efavirenz, Pisci-Bruxa, mestranda em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo, pesquisa o processo de criminalização da transmissão do HIV.


E também o Prosa Positiva do Daniel Fernandes, ator, produtor e que mostra de forma muito leve a vida com hiv.


Lançando em 1º de dezembro de 2018, Dia Mundial de Luta Contra a Aids, o documentário tem o apoio do Departamento de IST, Aids e Hepatites Virais, do Ministério da Saúde, da da GSK Brasil (GlaxoSmithKline) e da Via TV.


Apesar de alguns dos canais não terem mais atualizações, como o Chá dos Cinco, e o Boa Sorte, os vídeos continuam disponíveis no YouTube.


Hoje, aparentemente, a atuação mais informada e incisiva por parte de influenciadores digitais em relação ao hiv não está mais apoiada significativamente no YouTube, mas se deslocou para outras plataformas, especialmente o Instagram, onde canais como o @posithividades, por exemplo, alimentam com conteúdos frequentes.


Tenho a mais profunda admiração por pessoas influenciadoras digitais atuando na causa hiv/aids, pois elas abrem mão, muitas vezes, de aspectos essenciais de suas próprias vidas, notadamente no campo afetivo, para lutar por nossos direitos, assim como contribuir ativamente na formação de uma sociedade menos sorofóbica. Devo também muito a eles/elas, pois me ajudaram e ainda ajudam muito nos meus próprios processos.


O documentário pode ser assistido pelo link abaixo:




36 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page