top of page
Buscar
  • Lhivros e Arthivismo

Livro - AS HORAS NUAS - Lygia Fagundes Telles


"Abrirei em parábolas a minha boca e dela farei sair com ímpeto coisas ocultas desde a criação do mundo." Mateus 13-35



A personagem principal do livro "As Horas Nuas" de Lygia Fagundes Telles é Rosa Ambrósio, atriz de teatro que teve inúmeras e inesgotáveis perdas em sua vida. Perdeu sua juventude, perdeu trabalhos, perdeu seu primeiro amor, seu primo Miguel, para as drogas, perdeu Gregório, seu marido, que se suicida após ficar traumatizado por ter sido torturado na ditadura, perdeu Diogo, seu amante e namorado, que a abandonou para ficar com mulheres mais novas. Perdeu inclusive sua filha, que gosta de homens mais velhos e por isso é desprezada pela mãe. Por tudo isso, Rosa faz questão de perder sua sanidade bebendo.


O livro tem três narradores: a própria Rosa, um narrador super original de nome Rahul (e não falarei mais sobre ele para não dar spoiler) e um terceiro inominado. Isso cria diversas quebras inesperadas, pois cada um deles mostra uma visão diferente (e muitas vezes divergente entre elas) da realidade.


A questão do hiv/aids aparece já no início em uma citação à vida normal, feita de felicidades e infelicidades, citando o "Papa-Anjo lá em San Francisco tentando explicar aos gays. Aids? E daí?"


Outra citação é quando Rosa fala sobre o fato de que sua filha somente gosta de homens velhos e que pelo menos ela não correria o risco de se infectar com hiv. A partir daí, vale pontuar que o livro foi publicado pela primeira vez em 1989...


Mais uma referência é quando Diogo fala para Rosa que um grande amigo, que usava drogas injetáveis, estava em fase de aids. Mas verdade, as palavras usadas são que ele "estava morrendo da nova morte lenta-rápida".

18 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page