top of page
Buscar
  • Lhivros e Arthivismo

Livro - CONFISSOES DE UM SOROPOSITIVO - Leo Cezimbra

Atualizado: 24 de ago. de 2021



A Língua Portuguesa é uma entidade viva, ao contrário do que algumas pessoas tendem a alegar, e os termos estão em constante mudança para se adequar não só à realidade contemporânea, mas também servem como instrumento de mudança social, pois palavras podem moldar o pensamento e influenciar comportamentos.



Por exemplo, no início da epidemia, pessoas vivendo com hiv que estavam em fase de aids eram chamadas de "aidéticas", termo obviamente muito pejorativo.


Depois, com a possibilidade de pessoas viverem com hiv sem aids, a pessoa que vivia com o vírus era chamada de "soropositiva". Em que pese este termo ainda ser bastante utilizado, recentemente já se reconhece que ele não é o ideal, pois a palavra "soropositivo" aprisiona o indivíduo como mero recipiente, não uma pessoa autônoma que, por acaso,

vive com hiv.


À época em que o canal do YouTube e posteriormente o livro foram lançados, não havia ainda este entendimento. Mas o autor é bastante consciente e por isso optou por mudar o nome na plataforma, mas o livro já estaria cristalizado.


Em "Confissões de Um Soropositivo", o autor narra sua história, contando como descobriu o hiv a partir de um teste realizado em 2013, assim como suas reações a partir deste ponto. O impacto causado em sua vida pessoal, familiar, afetiva e social.


Leo morava em Uruguaiana/RS, uma cidade hoje com cerca de 127 mil habitantes. O povo gaúcho, apesar de bastante acolhedor e com um bom nível cultural, é extremamente tradicionalista e conservador, então se pode dizer que a sorofobia o atingiu em cheio, especialmente em relação aos amigos e aos parceiros.


Interessante que ele construiu cada capítulo como uma "confissão". O termo, no dicionário, tem diversos significados, sendo que aqui caberia o de declarar, revelar, confidenciar. Mas no dicionário também existe o sentido de declarar culpas ou crimes, e muitas pessoas que vivem com hiv sentem culpa e vergonha. A partir disso, podemos dizer então que a escolha da palavra "confissão" foi brilhante.


Sua narrativa tem diversas semelhanças com as histórias de tantos de nós, com sentimentos de vazio, solidão, medo.


Mas também o livro vai demonstrando, ao longo de suas Confissões, o quanto o autor evolui como pessoa, o quanto ele se empodera e toma as rédeas de sua vida. Impossível não se emocionar.


Eu comprei o livro em versão e-book na Amazon, pagando menos de 5 reais, e o aconselho a todas as pessoas. Também aconselho você a segui - lo no YouTube, no canal com seu nome.

96 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page