top of page
Buscar
  • Lhivros e Arthivismo

Livro e Teatro - O SEGUNDO ARMARIO - Salvador Campos Correa

O livro "O Segundo Armário – Diário de Um Jovem Soropositivo" foi publicado em dezembro de 2014 pelo pseudônimo de Gabriel de Souza Abreu através da Index E-books.


Contudo, o verdadeiro autor é o fantástico ativista Salvador Campos Corrêa, que logo após o resultado do exame positivo para o hiv, ocorrido em 2011, inaugurou um blog para expor suas reflexões e suas vivências. Os textos para sua página online eram escritos muitas vezes ao som de músicas específicas, que estão indicadas no livro.



O nome "O Segundo Armário" é bastante adequado, pois no caso do autor, o primeiro armário foi o da homossexualidade, e a vida com hiv se tornou um segundo armário.


Logo no início, um dos medos mais presentes na cabeça do autor era a lipodistrofia, que seria um efeito colateral possível nas combinações mais antigas de antirretrovirais, que seria uma redistribuição da gordura corporal. Hoje em dia, porém, os remédios mais modernos fizeram essa ocorrência cair para quase zero.


Outro ponto bastante marcante na obra é o relato da culpa inicial, aumentada pela pressão da mãe para que seu filho nunca se infectasse com hiv. Infelizmente é muito comum que as pessoas que vivem com hiv sejam, ao menos em algum momento, impactadas pela culpa. Mas a culpa é um sentimento paralisante, que não cabe neste caso. E a culpa vem do estigma que a sociedade criou em relação ao hiv. Ao nos libertarmos deste sentimento, abrimos espaço para o autoamor.


E em "O Segundo Armário" o autor narra como se livrou deste peso tão danoso, naturalmente, ressignificando seus sentimentos e suas atitudes.


E ele conseguiu. Hoje é um super ativista, ajuda uma miríade de pessoas vivendo com hiv e, ouso, dizer, mesmo sem o conhecer pessoalmente, que o processo de elaborar o fato de viver o hiv o tornou uma pessoa melhor.


A peça teatral de mesmo nome está disponível online, com a atuação do ator Hugo Caramello. Em que pese algumas tantas derrapadas, especialmente nas cenas que demandam choro ou desespero, a peça vale a pena, sendo que o texto da mesma é praticamente um resumo do livro. Vale a pena ver a peça primeiro, e depois ler o livro.


Segue o link para a peça teatral.


17 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page