top of page
Buscar
  • Lhivros e Arthivismo

Livro - ENQUANTO HOUVER VIDA VIVEREI - Julio Emílio Braz

O livro "Enquanto Houver Vida Viverei" de Júlio Emílio Braz tem sua primeira edição em 1998 e fala sobre um jovem que, ao sofrer um acidente de moto, precisa realizar uma transfusão de sangue e se infecta-se com o hiv. Na trajetória conta como as pessoas que vivem com o vírus se sentiam (e muitos ainda se sentem, por causa do estigma) em relação a doença e aos preconceitos e ignorância das pessoas.



Ele é bem curto dá pra ler em um dia, a escrita é leve e bem didática, e mostra bem como é o hiv, as formas de infecção , os cuidados que devem ser tomados e como se deve reagir em uma situação destas. Mostra principalmente o estigma do vírus e da aids, o preconceito e o temor das pessoas trazendo mais melancolia pra si.


Fala inclusive da importância de grupos de acolhimento. Mas vale um senão. Como o livro foi lançado em 1998, o vocabulário utilizado já não é atual. Na verdade, há a utilização de um termo que na época era aceitável, mas hoje é extremamente preconceituoso: aidético... Também há uma certa confusão sobre a diferença entre o fato de viver com hiv e estar em fase de aids.


O autor talvez tenha escrito o livro em uma época em que não havia tratamento antirretroviral eficaz, ou não conhecia sua existência, mas no texto há uma espécie de inevitabilidade da morte por aids que abre espaço para discussão.


É o primeiro livro sobre o hiv/aids lançado pelo autor, e ele pode ser encontrado no site do Estante Virtual:



Há outros que estão na fila de leitura.

42 visualizações0 comentário

Commenti


bottom of page