top of page
Buscar
  • Lhivros e Arthivismo

Livro - ESCRITAS NEGRO-POSITHIVAS - Mauricio Silva da Anunciacao

Conforme consta em seu prefácio, este livro deve ser lido acompanhado por um cálice de vinho cor de sangue...

O livro "Escrita Negra Posithiva: as escrevivências como novos agenciamentos estéticos de pessoas vivendo com hiv" é super importante na história artística do hiv no país por várias razões.



A primeira delas é que, não só no Brasil, mas na maior parte do mundo, a arte relativa ao hiv/aids foi e é produzida por pessoas brancas e para pessoas brancas. Isso exclui duplamente as pessoas não brancas, as mais afetadas hoje pelo hiv/aids.


A escrevivência seria uma forma de representação da vida e da visão que o autor tem de sua própria vida e suas experiências, sem confundir com a autobiografia. Visa expor/denunciar questões enfrentadas por quem escrevive. Em outras palavras, é uma ferramenta para fugir da história única. Assim, o livro passa a ser um instrumento político...


Caio Fernando Abreu foi um autor que escrevivia bastante, incorporando em praticamente todos os seus textos elementos de sua vivência e sua realidade.


E Maurício tem muito a dizer, como uma "bicha, preta, positiva", como ele mesmo diz, e o faz em eixos, sendo o primeiro uma análise do impacto do hiv/aids sobre o marcador da negritude, desde sua origem, até os dias de hoje. Analisar a sociopolítica do hiv, com ações públicas que sempre privilegiaram corpos masculinos brancos em detrimento dos corpos pretos, especialmente dos femininos,


Depois fala sobre a importância da escrita na (Re)construção das realidades das vidas de pessoas vivendo com hiv, e finalmente projeta um esboço de futuro social possível, a partir da escrevivência, para as pessoas que vivem com hiv.

Esta obra essencial pode ser adquirida pela livraria online Queerlivros:


18 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page