top of page
Buscar
  • Lhivros e Arthivismo

Livro - FREDDIE MERCURY - A REPORTAGEM DEFINITIVA - Ana dAngelo



“Eu não vou ser uma estrela. Eu vou ser uma lenda”. A frase dita pelo ainda jovem e anônimo Farrokh Bulsara a um amigo dos tempos da faculdade de artes, em Londres, é a visionária tradução da carreira do extraordinário vocalista da banda de rock inglesa Queen, que se tornou conhecido mundialmente como Freddie Mercury.



Para juntar as peças soltas do quebra-cabeça e reconstituir os fatos reais da vida da lenda, a autora fez um amplo levantamento com base em informações disponíveis em documentários, biografias, reportagens antigas, documentos e entrevistas do próprio Freddie e dos demais integrantes e personagens da história do Queen.


O filósofo alemão Nietzsche escreveu que certos homens “nascem póstumos”. Freddie Mercury é um deles. E ele sabia disso.


O livro-reportagem é dividido em subtítulos e conta, entre outros fatos: como Mary Austin se tornou a principal herdeira, a insistência para entrar na banda, o sucesso que só chegou perto dos 30 anos, a sexualidade e os amores, os shows no Brasil e o marco histórico do Live-Aid, a vida louca em Munique, a relação conflituosa com a imprensa, a descoberta da aids, as revelações do ex-funcionário Paul Prenter, a verdade nunca dita aos pais, a partida.


Apesar de abordar a questão da aids que acometeu o cantor ao longo do livro, a autora reserva um capítulo especial sobre o tema, em que relata que, apesar de estar vivendo o aufe de sua sexualidade livre nos primeiros anos da descoberta da pandemia de aids, não teria modificado seus hábitos.


Ainda, relata que em 1982 já teria um episódio de candidíase, mas que aparentemente só fez o teste sorológico para hiv em 1985, em Munique.


Mas foi em 1987 que o quadro se agravou, mas que mesmo assim Freddie não diminuiu seu ritmo de trabalho ou se preocupou com sua saúde. Aparentemente ele fez de tudo para que ninguém soubesse, de modo a evitar um impacto negativo sobre o sucesso do Queen.


Inclusive, ela afirma que quase todos os amigos gays do cantor também faleceram devido a complicações advindas da aids, com a exceção de poucos.


A primeira pessoa de seu círculo pessoal a saber foi sua melhor amiga Mary, seguida de seu empresário. Os demais membros da banda somente foram informados no início de 1988.


Fez ainda de tudo para cumprir o contrato com a gravadora, produzindo os álbuns The Miracle e Innuendo, mas ainda deixando muito material gravado para o futuro.


O livro conta ainda como foi a relação da família nos momentos finais do cantor, tudo marcado pela discrição e o respeito mútuos.


Todos nós devemos muito a ele.

8 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page