top of page
Buscar
  • Lhivros e Arthivismo

Livro - O VERSO DO VIRUS - A POESIA BRASILEIRA CONTEMPORANEA E O HIV AIDS - Leandro N da Fonseca

Leandro Noronha da Fonseca @leandronoronhaf é um pesquisador e artivista que se dedica ao estudo de como a literatura retrata, é influenciada pela imagem social das doenças, assim como também a influencia.



A definição de o que é a poesia parece uma pergunta fácil de ser respondida, tamanha sua ingenuidade. Como delimitar algo que não tem limites? Como categorizar a poesia, quando essa ganha diferentes sentidos, atingindo uma subjetividade que dificilmente poderá ser dimensionada? Responder a esse questionamento não é tarefa fácil nem mesmo para os mais hábeis artistas e poetas, que vivem rodeados pela linguagem poética e os múltiplos significados que dela podem emergir.


A poesia comumente é vinculada ao poema, contudo, essa relação não é exclusiva, tampouco indissociável. A poesia pode estar em todas as coisas, até mesmo nos mais corriqueiros dos gestos, nas mais despretensiosas atitudes.


Ela reside também nas diferentes manifestações artísticas, e não apenas na literatura: há poesia nas artes plásticas, na fotografia, na música, no teatro e em tudo aquilo onde se deposita a vontade de provocar no leitor ou no espectador uma experiência sensorial. Percebê-la é uma questão íntima e individual, pois o que soa poético para mim pode não representar nada para o outro. A poesia só existe quando é plenamente compreendida.


É inconteste, porém, a simbiose entre a poesia e a literatura, por isso, quando indagados sobre “o que é poesia”, fazemos uma associação imediata entre a poesia e o poema, como se um elemento fosse fundamental ao outro, como se fosse um irremediável caso de sinonímia. Entretanto, é bem verdade que existem poemas sem poesia, esvaziados da intenção de provocar sensações no leitor; mas um poeta que sabe a função da arte nunca abre mão de despertar para o universo sensorial o receptor da mensagem.


Já autor, nesta obra, traça um panorama de 40 anos, desde o surgimento da epidemia na década de 1980 até os dias atuais, de uma produção literária que buscou proporcionar outros olhares sobre o hiv/aids – olhares estes muitas vezes distintos dos discursos discriminatórios e estigmatizantes. A pesquisa ainda busca compreender como as transformações sociais, científicas e culturais têm contribuído para o delineamento de discursos mais contemporâneos sobre a vivência com o hiv.


Além disso, oferece reflexões importantes para a compreensão da diversidade da atual poesia brasileira. Dessa forma, O verso do vírus: a poesia brasileira contemporânea e o hiv/aids é uma obra que oferece grandes contribuições para os estudos de gênero e sexualidade, para os Estudos Literários e áreas afins, sendo mesmo uma obra essencial para toda pessoa que se interesse pela literatura do hiv/aids.


Especialmente, ele faz uma análise da antologia de poemas "Tente Entender o que Tento Dizer", que em nosso país inaugurou um novo movimento de escritas poéticas tendo como o hiv/aids como tema central.


Amei este livro, que pode ser adquirido no site da Editora Appris, e ele serve como bibliografia obrigatória para todas as pessoas interessadas no estudo da literatura brasileira e o hiv/aids.


Contudo, uma ressalva deve ser feita: "tive" que comprar 4 obras referenciadas neste livro kkk.


14 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page