top of page
Buscar
  • Lhivros e Arthivismo

Livro - PROMISCUO - Fernando Impagliazzo

Hoje gostaria de convidar você a saborear o livro de poesias "Promíscuo" do Fernando Impagliazzo (@fernando.impagliazzo). Tenho certeza que você se encantará.


Ele traduz em poesia o fato de estar com hiv, amar, sofrer, VIVER enfim, com suas fraquezas e suas fortalezas. E mais, fala também sobre masculinidade(s), machismo, vulnerabilidades. Vale a pena mesmo.



Conheci o trabalho do poeta por sua participação na antologia de poemas e hiv/aids "Tente Entender o que Tento Dizer", organizada por Ramon Nunes Mello (pg 50), e já citada aqui no blog.



Fernando vive com HIV desde 2009, e o diagnóstico o “fez pensar em uma proposta de desconstrução poética da nossa sexualidade masculina e frágil. Todo o homem usa uma capa imortal que não o protege de nada. Ser homem, afinal, é a vulnerabilidade de ‘deixar um vazio entre as pernas, ‘de deixar de ser tão homem’.”


Você pode adquirir esta preciosidade no site da editora Urutau.



SOLO


eu poderia escrever um poema longo sobre a solidão do homem soropositivo mas isto seria desonesto comigo


éramos dois, ele tocava a bateria, e eu, o vocalista e guitarrista, fizemos sucesso por um tempo até que o barulho no metal dos pratos da bateria me entediou, seus bumbos percebi que algo estava errado


eu poderia escrever um poema longo sobre a solidão do homem soropositivo mas isto seria desonesto comigo


o baterista permaneceu ali, no canto dando ritmo e cor à minha vida foi quando apareceu um guitarrista solava bem, quase um Jimmy Hendrix mas não demorou muito para que eu desistisse daquele rock overrated anos 60


eu poderia escrever um poema longo sobre a solidão do homem soropositivo mas isto seria desonesto comigo


o guitarrista sentou-se ao lado do baterista deram um beijo, começaram a conversar sobre a vida, fiquei alegre ao ver aquela cena


foi quando surgiu o tecladista descabelado pegou o amplificador e começou a tocar Philip Glass


eu poderia escrever um poema longo sobre a solidão do homem soropositivo mas isto seria desonesto comigo


todos os dias quando vejo o baterista, o guitarrista e o tecladista juntos sentados se amando, cedo voz ao meu maior orgulho


ter sido o membro fundador desta banda the Lonely Men’s Lonely Hearts Club Band que se orgulham de ter tantos homens solitários


ao seu lado


we’d love to take you home with us we’d love to take you home


eu poderia escrever um poema longo sobre a solidão do homem soropositivo mas isto seria ignorar que a carreira de um homem


é sempre do tamanho de um solo.

37 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page