top of page
Buscar
  • Lhivros e Arthivismo

Radionovela - NO AR POSITHIVAS NA PREVENCAO - Movimento Nacional das Cidadas Posithivas

O “No Ar Posithivas Na Prevenção!” foi organizado pelo Movimento Nacional das Cidadãs Posithivas - MNCP, visa democratizar a informação, através de estratégias inovadoras de comunicação, incluindo públicos com restrição de internet, elevando as possibilidades de disseminação e democratização da informação através do rádio, atendendo o público que tem esse meio, como única forma para obtenção de informações e que tenham pouco ou nenhum acesso a rede mundial de computadores e todos os públicos.



Outro propósito da radionovela é atingir profissionais da área da saúde, movimentos sociais e lideranças, para que os mesmos possam utilizar a produção como qualificação profissional dialogando sobre os temas propostos. É frequente ocorrer, infelizmente, de profissionais da saúde não terem o devido preparo para atender às pessoas que vivem com hiv, o que sem dúvida pode afetar negativamente a qualidade de vida, e consequentemente a adesão ao tratamento necessário.


A trama foi dividida em 4 episódios de aproximadamente 20 minutos cada, e narra vivências das cidadãs posithivas, um grupo de mulheres vivendo com hiv que se reúne para discutir questões chaves de enfrentamento ao hiv e à aids, como prevenção, diagnóstico, transmissão vertical, discriminação e preconceito.


A narrativa, ficcional, escrita por Etel Frota construiu todo o enredo a partir de depoimentos destas cidadãs posithivas. A equipe de produção é composta por: Renata Soares de Souza, Silvia Aloia, Rafaela Queiroz, a escritora, letrista e produtora cultural Etel Frota, o compositor e maestro Felipe Radicetti e as atrizes,a amiga Maíra Magalhães, Helena Agalenéa, Maria Bia, Leda Maria, Maria Emilia, produção de áudio Douglas Vieira da empresa Criar Brasil, com apoio de Jenice Pizão e Fabiana de Oliveira.


Cada episódio aborda um dos tópicos citados, e é norteado pelas histórias das protagonistas: Regina (Leda Maria), Graça (Maria Bia), Benê (Renata Souza), Malu (Helena) e Rosa (Maíra).


O primeiro tem Regina como protagonista, uma mulher cis, que só teve dois namorados na vida, e que sonha estar recebendo o diagnóstico positivo para hiv. Ao acordar, conta as suas peculiaridades e as diferenças entre o sonho e a realidade.


Já o segundo episódio tem Graça como foco principal, abordando as possibilidades da transmissão vertical do hiv. Fala-se também sobre os primeiros passos após o diagnóstico. Como é a vida quando se descobre vivendo com ele.


No terceiro episódio, Rosa, recém chegada, tem mais detalhes sobre a cartilha, o manual, do tratamento para o hiv. Ela deve criar coragem para fazer os exames da filha para saber se ela foi infectada.


No quarto e último capítulo, Benê conta sua história, professora, teve sua sorologia divulgada para toda a cidade em que morava. Sofria discriminação, tanto pela cor de sua pele, racismo, como pelo fato de viver com o vírus, a sorofobia. Fala também sobre casais sorodiferentes.


O texto é fluido e apesar de cada episódio focar em uma personagem, as outras participam de todos os capítulos.


Você pode acessar os quatro capítulos pelo link abaixo, do Spotify:


5 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page